Alternativas para tratar piscina sem cloro

Alternativas para tratar piscina sem cloro

13/02/2019 Off Por Tatiana Peterson

Se você não gosta de cloro, conheça essas alternativas para tratamento de água de piscina

Com o El Niño influenciando nosso verão neste ano, trazendo muito calor,  nada melhor do que um banho de piscina. Porém, a maioria delas ainda é tratada com o tradicional cloro. Para muitas pessoas, o cloro causa problemas de irritação nos olhos, alergia de pele e respiratória. Porém, saiba que existem métodos bem mais leves e, inclusive naturais, de tratar a a água da piscina. Conheça então algumas alternativas para limpeza capazes de manter a piscina sem cloro e limpa.

1- Biopiscinas:

Este tipo de piscina também recebe nomes como piscina natural ou ecológica. De acordo com o blog Viva Green, as primeiras biopiscinas foram feitas na Europa, nos anos 70. Na verdade, elas são uma mistura de piscina e lago artificial. Além da parte feita para o banho, as biopiscinas tem outra parte que faz a limpeza da água. O tratamento da água é feito a partir de processos naturais de autodepuração.

A água é filtrada,  porém também há a presença de vegetação destinada a participar do processo de limpeza. A biopiscina também precisará ter em seu fundo, algumas partes impermeabilizantes, para que o tanque não perca água. A piscina também deve possuir partes drenantes, para que não haja contaminação causada por algo existente no solo. Ao mesmo tempo, as raízes das plantas devem tocar o solo. A areia deve ser especial para lagos. A água da biopiscina, caso venha da rede pública, deve ser tratada para que fique totalmente sem cloro.

Por ser tão integrada ao ambiente natural, há também a possibilidade da biopiscina atrair anfíbios para seu interior. É um projeto que pode ser feito por vários profissionais em conjunto, como arquitetos, biólogos, engenheiros e paisagistas.

Alternativas para tratar piscina sem cloro

2- Ozônio:

O sistema de limpeza por Ozônio necessita de uma quantidade mínima de cloro. (0,5 ppm). É necessário um equipamento gerador de gás ozônio, que vai captar o ar do ambiente, fazendo um processo de quebra da molécula de oxigênio, gerando assim o O3 (Ozônio).

O ozônio não deixa resíduos na água e seu excesso é transformado naturalmente em oxigênio. Vale lembrar que a ozonização só funciona com o filtro da piscina ligado. Quando desligado, o processo de descontaminação não acontece. Veja abaixo um gráfico que explica o funcionamento do sistema, oferecido pela empresa Panozon:

Alternativas para tratar piscina sem cloro

3- Salinização:

Esse tipo de processo produz, na verdade, o cloro natural. Isso acontece através da aplicação de doses de cloreto de sódio (sal). Através do processo chamado de eletrólise, as partículas do sal são quebradas, o que gera a produção de cloro natural, que é liberado na água. Você precisa, então, instalar um sistema eletrolítico que faça esse processo no tanque.

A salinização também diminui muito a ocorrência de alergias. Caso haja muito uso, também é necessário complementar a limpeza com uma quantidade mínima de cloro. O equipamento de salinização tem um valor mais alto, mas pode ser instalado em tanques de água quente ou fria.

Ficou com vontade de cair em uma piscina agora? Então, planeje bem sua obra e decida qual o melhor método para a limpeza de sua piscina sem cloro. Mas, mesmo que você não vá construir uma piscina ainda, estas dicas podem ajudar na hora de escolher uma piscina para frequentar ou fazer aulas de natação. Pergunte sempre qual o método de desinfecção usado, para assegurar que você não vá ter nenhum problema de saúde. Acompanhe sempre o blog da EGG43. Aqui você encontra informação boa para todas as estações do ano!